2021-02-09 10:35:00

O que é Schema e como funciona?

Conteúdo mostrar

Se você é alguém que trabalha com a internet, provavelmente já deve ter ouvido falar do Schema. Mas ouvir falar e saber o que é Schema e como funciona são coisas totalmente diferentes. Afinal, mesmo que seja algo essencial na internet, é algo complexo de se entender.

Por isso, para que não haja mais dúvidas e você entenda de uma vez por todas o que é Schema, e o que você pode fazer para usá-lo a seu favor, nós preparamos esse guia para tirar todas as suas dúvidas.

O que é Schema?

Antes de explicar como ele funciona, e o que você pode fazer para usá-lo a seu favor e melhor os seus resultados de número de visitas em seu site, é necessário entender o que é Schema, e o porquê dele ser tão importante e requisitado nos dias de hoje.

Então, explicando de uma forma não tão aprofundada, para que, inicialmente, se torne mais fácil de entender o que é Schema, vamos dizer que ele é um sistema de marcações para estruturar os mecanismos de pesquisa de ferramentas como o Google, Yahoo, Bing e tantas outras desse mesmo tipo.

O que o Schema faz, de uma forma mais básica e simples de entender, é separar os sites por marcações. Essas marcações são levadas em conta na hora dos mecanismos de pesquisa irem atrás dos resultados que aparecerão para os usuários.

E, através dela, o seu site pode aparecer em pesquisas relacionadas ao assunto que a pessoa está pesquisando. Pois os mecanismos conseguem compreender que os assuntos pesquisados e os de seu site são relacionados através dessas marcações.

Assim, ele consegue deixar os resultados de pesquisas na internet muito mais semânticos. Ou seja, os mecanismos conseguem entender as relações que as coisas podem ter, através de uma linguagem estruturada que lhe proporciona aprimorar esse tipo de resultado.

Como, por exemplo, quando você quer descobrir eventos que irão acontecer próximos a você, e pesquisa sobre isso em algum mecanismo de pesquisa. Se baseando somente em um esquema de palavras chave, você só encontraria esse tipo de resultado caso algum site falasse especificamente dos eventos que estão acontecendo em sua cidade. Como uma listagem semanal ou alguma coisa desse tipo.

Porém, através do Schema as coisas podem se tornar muito diferentes. Já que os sites podem usar esse sistema de linguagem para definir seu conteúdo com alguma tag de evento para x cidade. Então, quando você procurar por eventos da sua cidade, o site próprio do site do evento poderá aparecer nos resultados, graças a estruturação do Schema.

Então, agora que você já entende por cima o que é Schema, e como funciona a sua otimização de resultados de pesquisa. Vamos nos aprofundar um pouco mais no assunto, e entender sobre como funcionam as suas tags.

Os diferentes tipos de tags Schema

Como explicamos anteriormente, quando falamos sobre o que é Schema, ele utiliza uma linguagem para realizar marcações nos sites. Assim, os mecanismos de pesquisa podem entender mais sobre que tipo de site é o seu, e com o que ele pode ser relacionado para melhorar o seu número de visitas.

E, para que isso aconteça da melhor maneira possível, existem algumas principais marcações pelas quais o seu site pode ser dividido. E você pode conferir todas as principais marcações na lista abaixo.

  • Artigos;
  • Eventos;
  • Produtos;
  • Pessoas;
  • Organizações;
  • Negócios Locais;
  • Avaliações e Comentários;
  • Receitas;
  • Condições Médicas.

Assim, quando você usa algumas dessas marcações, ou ainda outras, para dizer aos mecanismos sobre o que o seu site fala, ele irá entender melhor sobre o que se trata. Com isso, se torna possível utilizar de pesquisas relacionadas para chegar até seu site.

O que também é algo que pode ajudar o usuário a escolher em qual site ele irá entrar, já que isso também possibilita que o Schema apareça em forma de Rich Snippets para o seu site.

E, para o caso de você não saber do que se trata, os Snippets são, basicamente, as informações sobre o site que aparecem nos resultados de pesquisa. Como você pode ver no exemplo abaixo:

imagem 2021 02 09 101640
Foto reprodução: Google

E quando falamos de Rich Snippets, se tratam de algumas informações extras e valiosas. Que são muito mais atrativas aos usuários.

Como, por exemplo, quando aparece alguma informação sobre o gênero de algum filme que você está pesquisando junto do resultado de algum site. Ou quando aparece a classificação de algum restaurante, antes mesmo de entrar no site, quando você pesquisa por seu nome ou por indicações próximas a você. Como você pode ver no exemplo abaixo

Schema
Foto reprodução: Google

No exemplo acima, você pode ver um guia de receitas do Guia Da Culinária. Um site de clientes da Azarod que conseguiu ranquear bem no Google e aparecer em primeiro com seus Rich Snippets através de nossa assessoria.

Mas no meio disso tudo, uma nova dúvida surge, comumente: como o Schema pode ser implementado em um site? Que linguagens podem ser utilizadas para isso? Então, para que não restem mais dúvidas, vamos responder essas questões.

As 3 principais linguagens para atribuir o Schema

Indo para uma parte mais técnica, existem algumas linguagens pelas quais o Schema pode ser incrementado em algum site. Então, separamos as 3 principais linguagens usadas para isso.

São elas: RDFa, Microdata e JSON-LD. Nomes que podem parecer estranhos a princípio, mas não se preocupe com isso. Nós iremos explicar sobre cada uma dessas linguagens agora.

RDFa

RDFa é a sigla para Resource Descriptive Framework in Attributes (Em português, Estrutura Descritiva de Recursos em Atributos). Essa é uma linguagem que pode ser utilizada em qualquer documento do tipo HTML, XHTML e XML. E ela tem uma estrutura bem interessante, que incluem:

  • about: que usado para indicar o recurso marcado;
  • rel e rev: que é usado para mostrar um relacionamento, e revertê-lo para algum outro recurso;
  • src, href e resource: usado para mostrar o recurso de algum parceiro;
  • content: que é usado para para substituir o conteúdo de um elemento ao usar um atributo de propriedade;
  • datatype: que é usado para indicar o datatype do texto especificado para uso com o atributo de propriedade;
  • typeof: que é usado para indicar o tipo de RDF do sujeito ou o recurso do parceiro.

Microdata

A microdata é uma linguagem muito parecida com a RDFa, e conta com atributos próximos aos dela. Você pode conferir abaixo quais são esses atributos.

  • : é utilizado para criar um item, e mostrar que o resto do conteúdo fala sobre ele;
  • itemtype: é utilizado para descrever o item e as propriedades com um URL válido de um vocabulário;
  • itemprop: para indicar que a tag contém o valor de uma propriedade de item especificada (por exemplo, itemprop = ”name”);
  • itemid: para indicar um identificador exclusivo do item;
  • itemref: para referenciar propriedades de um elemento que não está contido no . Isso fornece uma lista de IDs de elementos com mais propriedades em outras partes do documento.

JSON-LD

JSON-LD é a sigla para JavaScript Object Notation for Linked Data (em português, 

Notação de objeto JavaScript para dados vinculados) e é considerado por muitos a maneira mais fácil de um iniciante implementar o Schema em seu site.

E ele tem essa fama por permitir que o usuário possa colocar os atributos utilizados para o Schema nas tags <head> ou <body> do site. Assim, fica muito mais fácil de otimizar o documento de seu site para ter acesso aos benefícios de um Schema organizado.

Ele se torna mais fácil de se utilizar por conta de usar apenas dois principais atributos para especificar as marcações no Schema. Sendo eles o @context e o @type. Assim, o processo se torna muito mais simples, principalmente para os iniciantes.

Por conta disso, é uma das linguagens mais utilizadas para programar o Schema de um site. Não é à toa que a própria Google recomenda que o JSON-LD seja utilizado “Sempre que Possível” nesse contexto de Schema.

Como por os dados estruturados em seu site

Talvez você pense que esse é um processo muito difícil, já que você precisa saber programar para poder fazer isso, assim como ter conhecimento em vários tipos de linguagens diferentes.

E isso realmente é verdade, se você for fazer todo o trabalho do zero. Algo que não é necessário, já que existem ferramentas à sua disposição para criar os códigos em JSON-LD ou Microdata para você de forma rápida e fácil.

Assim, tudo que você precisa fazer utilizando essas ferramentas é destacar os elementos que você deseja corretamente. Tendo isso feito, o código é gerado de maneira automática para você copiar ou baixar.

E tendo isso, é muito fácil terminar o processo. Tudo que precisa ser feito é ir até o painel de seu site e colar o código gerado na parte dedicada a isso nas configurações. Um trabalho simples e rápido de se fazer.

E para tornar isso um processo ainda mais fácil, vamos indicar as melhores ferramentas que você pode ter a sua disposição a seguir.

Os melhores geradores de Schema disponíveis

Para tornar todo o trabalho muito mais fácil para você, nós separamos as ferramentas que temos como melhores para gerar o código para o Schema. Então, confira abaixo quais são elas:

  • Hall Analysis Schema markup generator: através dele, você pode por diversas informações diferentes para o seu Schema. E tudo é muito simples e fácil de se fazer, precisando apenas colar o código gerado no HTML de seu site;
  • Google Structured Data Markup Helper: uma das mais fáceis de se usar, e desenvolvida pela própria Google. Nela, tudo que você precisa fazer é marcar os itens desejados em seu próprio site, para que a ferramenta faça o resto do trabalho;
  • Schema.org Generator for SEO: Ainda entre as melhores ferramentas em nossa opinião, temos essa outra que também é super simples de se usar, com um processo parecido com o do Hall Analysis;
  • Merkle Schema Markup Generator: outra ótima ferramenta para gerar o Schema, e nela você tem a opção de exportar o seu código nos formatos Microdata ou JSON-LD.

Todas as citadas são ótimas ferramentas geradoras de Schema, e você pode usá-las sem nenhum medo de estar usando algo ruim ou que entregará códigos mal escritos. Mas, caso você ainda assim tenha algum receio, temos outras ferramentas para você.

Ferramentas para testar o seu Schema

Programar é uma tarefa muito difícil, principalmente para as pessoas que não sabem programar. Por isso, quando você utiliza algum gerador de Schema, pode utilizar algumas ferramentas para saber se existe algum problema em seu código.

Mas não somente para quem usa os geradores, essas são ferramentas úteis para todos. Afinal, mesmo entre os melhores, ninguém está isento de erros. E com certeza é melhor usar uma ferramenta rápida e simples, do que ter algo que não funciona e talvez até atrapalhe o seu site.

Schema Markup Validator

Essa é uma ferramenta muito simples de usar, já que tudo que precisa ser feito é arrastar sua página até ela, ou colar o seu código. Com isso,ela fará uma análise para dizer se existe algum erro nas linhas do código de seu Schema. Caso não tenha nenhum, seu código está pronto para o uso.

SEMrush

Dentro do site SEMrush, existe uma ferramenta muito interessante, que é a ferramenta de auditoria. Através dela, você pode ver quanto do seu site, em porcentagem, está usando de Schema.

Contudo, essa ferramenta não pode ser utilizada por todos, já que ela funciona somente para os códigos em Microdata. Ou seja, se você utiliza algum outro tipo de linguagem, como o JSON-LD, não poderá usar da ferramenta de auditoria do SEMrush.

Mas e então, o Schema é realmente tão importante?

De forma rápida: sim, o Schema é tão importante quanto você imagina. Afinal, ele pode potencializar em muito o número de visitas ao seu site, já que ele pode lhe relacionar a outros sites. Além de, claro, mostrar aos usuários Rich Snippets.

Afinal, é através dele que os mecanismos da Google irão saber onde o seu conteúdo deve aparecer, e podem colocá-lo em lugares personalizados. O que gera uma maior interação e fluxo de visitas.

Ou seja: ter o seu site estruturado com Schema é algo muito importante para que ele apresente resultados melhores e aumente a sua performance. Assim como cuidar de todos os padrões de SEO para ter um bom ranqueamento e alcançar uma posição alta nos resultados de pesquisa.

Porém, existe uma outra dúvida muito comum no meio disso. Uma que é muito fácil de entender de onde vem, e da qual é muito importante comentar sobre.

Ter um Schema ajuda no ranqueamento do SEO?

essa é uma pergunta com uma resposta um tanto quanto complexa. Afinal a resposta pode ser um pouco surpreendente, já que o Schema não melhora o ranqueamento para o SEO, mas aumenta o número de cliques.

Pode parecer algo controverso, mas tenha calma que iremos explicar tudo para que não reste nenhuma dúvida quanto a utilização do Schema.

Então, explicando da forma mais simples possível. O Schema não vai afetar o seu ranqueamento nas páginas de pesquisa, a sua posição será a mesma com ou sem ele, e isso é algo comprovado pela Search Engine Journal.

Contudo, isso não quer dizer que os seus resultados serão os mesmos. Já que também é comprovado que os Rich Snippets aumentam a chance dos usuários clicarem em seu conteúdo, já que eles aumentam a quantidade de informações relevantes.

Por isso, ainda que você não tenha um crescimento na disputa por palavras chaves, o número de tráfego em seu site se torna muito maior, pois mais pessoas passam a encontrá-lo através das pesquisas.

Vantagens dos dados estruturados

Como falamos ao longo desse artigo, existem muitas vantagens em ter dados estruturados no seu site, mas ainda existem muitas outras vantagens que nós não citamos.

Anteriormente, nós falamos sobre a importância de se ter os dados estruturados em Schema, e que isso é importante para que a Google entenda que tipo de conteúdo é o seu. Já que, assim, é possível saber onde o seu conteúdo deve aparecer nos resultados.

E isso melhora a aparência dos seus resultados. Já que, por exemplo, quando alguém pesquisa por receitas, os mecanismos da Google colocam algumas receitas 5 estrelas na parte de cima, deixando tudo mais bonito.

O que ajuda muito na hora dos usuários decidirem em qual site eles vão entrar. Mas a aparência não é a única vantagem extra que você terá, mesmo que por si só ela já seja ótima e melhora muito os resultados.

Essa outra grande vantagem que você encontra ao ter um conteúdo bem estruturado com Schema, está nas pesquisas por voz, como as do Google Assistente, Siri e Alexa. Pode parecer algo estranho, mas entenda.

Assistente do Google
Foto reprodução: High-Tech Girl

Esses mecanismos dependem muito de que o conteúdo seja bem estruturado para saber o que mostrar de resultado para o usuário, pois ele precisa saber qual o melhor conteúdo disponível para mostrar ao usuário. Afinal, o SEO apresenta ao usuário as melhores opções, mas para uma pesquisa de voz isso não basta, já que o assistente deve ter um parâmetro para decidir qual o melhor, já que fala apenas um.

É por conta disso que muitas pessoas dizem que a estrutura de Schema de um site é um novo padrão de SEO que deve ser levado em conta, o “SEO Semântico”.

O que é o SEO Semântico?

Para explicar o que é o SEO semântico, é interessante que você entenda o que é semântica antes, pois isso pode deixar todo o entendimento muito mais fácil.

De forma muito resumida, a semântica é um ramo da linguística que estuda os significados das palavras dentro de contextos diferentes; ela estuda o significado e a relação entre as palavras.

Como, por exemplo, uma palavra que pode ter mais de um sentido dependendo do contexto com o qual é utilizada. Palavras que podem ser usadas como sinônimos, e por aí os estudos vão muito mais longe, porém o que precisamos agora é desse básico.

Quando trabalhamos com SEO, o seu resultado será apresentado apenas quando a palavra chave de seu conteúdo for requisitada pelo usuário. Qualquer coisa que fuja dela não mostrará o seu resultado,

E é aí que entra o SEO semântico, que pode-se dizer que tem o trabalho de expandir isso. Ao invés de usar somente uma palavra chave, ele vai usar o que o seu conteúdo está dizendo para apresentá-lo. Ou seja, você está dentro dos resultados de um determinado assunto, e não de apenas uma única palavra chave específica.

E para que isso aconteça, ter dados estruturados é algo essencial. Afinal, esse tipo de conteúdo é o que dá a chance do Google entender sobre o que se trata seu site, e assim ele não depende apenas de palavras chaves como parâmetro.

O que acaba melhorando em muito os resultados para os usuários, já que os mecanismos se tornam capazes de entender melhor o que ele está buscando, e lhe entregar os melhores conteúdos relacionados a isso. Tudo se torna muito mais coerente.

E para quem tudo isso é mais crucial?

Agora que você entende mais sobre o que é Schema, pode ver que ele é muito importante para o desempenho de um site. Mas pra quem ele é de fato necessário? A própria Google nos traz essas respostas.

Segundo a empresa, é essencial utilizar as marcações para quem produz itens de conteúdo, como artigos, análises e por aí vai, e listas de itens, como de receitas e eventos.

Para esses casos, você pode utilizar as marcações normalmente, mas também existem casos onde elas são ainda mais necessárias, e se tornam um pouco mais complexas de serem utilizadas.

E esses casos são onde você trabalha com algo que lide com dinheiro, ou com a saúde de pessoas. Nesses casos, as suas marcações devem estar dentro dos parâmetros de EAT (authoritativeness e trustworthiness (em português, perícia, autoridade e confiabilidade)) e de YMYL (your money or your life (em português, seu dinheiro ou sua vida))

E isso acontece porque, obviamente, você está lidando com algo que pode acabar lesando as pessoas. Por isso existe um pouco mais de burocracia, para que os resultados sejam os melhores possíveis.

O que você achou do nosso artigo sobre o que é Schema?

Comente o que você achou dele, e diga se ele lhe ajudou a entender mais sobre o que é Schema, e o porquê dele ser tão necessário. Também não deixe de compartilhar com outras pessoas que também tenham site, para que possamos ajudá-las a descobrir o que é Schema também.

Confira também o nosso post sobre os 12 melhores criadores de landing page, que pode lhe ajudar muito na hora de fazer o seu comércio virtual.

E não esqueça que você também pode deixar todo esse trabalho na mão de profissionais com nós da Azarod. Basta clicar aqui para acessar o nosso site e conferir nossos planos.

Open chat